Candidatos, tenham maneiras

Mário Soares, com a sabedoria dada pela idade, depois de uma vida com responsabilidades e a necessidade de vencer obstáculos, o que obrigou a profundas reflexões, deu agora mais uma lição de boas maneiras democráticas aos jovens políticos, mais ousados do que sensatos. Eis algumas frases suas:

– o discurso dos dirigentes partidários na pré-campanha devia ter sido “mais sensato”, não lhes valendo nada “andarem a insultar-se uns aos outros“.

– “É necessário as pessoas terem bom senso, com cada um puxar a brasa à sua sardinha, mas com boa educação e com cordialidade, porque nas democracias não há inimigos”.

– estar esperançado de que “o bom senso vai chegar”, porque “eles vão ter de se associar para salvar o país”.

– «A situação do país é demasiado difícil para andarem às turras uns com os outros»

Realmente, para vencer a crise é preciso confiança e esta é incompatível com ping-pong político eivado de insultos e hostilidades que acabarão por dificultar o entendimento a que terão de chegar para benefício de Portugal, dos portugueses. Em vez de tais palavras insensatas, seria muito melhor que dissessem aos portugueses onde estamos e para onde vamos.

Imagem do Google